Prefeitura Irá Realizar Várias Melhorias na Agrovila do Km 40 a Partir de Junho

0

O Prefeito Alexandre Lunelli aproveitou a visita na comunidade Carlos Pena Filho, para anunciar que, a partir de junho, a Agrovila vai ser beneficiada com 500 metros de pavimentação asfáltica, dos recursos do CAFF, que já foram liberados pelo Governo do Estado, e as ruas vão receber aterramento, inclusive as ruas do loteamento Araguaia, que mesmo não sendo responsabilidade da Prefeitura, porque é uma propriedade particular, também vão receber iluminação pública. Além disto se comprometeu em resolver o problema da bomba dágua, no prazo de seis meses (até agosto).

Alexandre e o secretário de Finanças, Giovane Lunelli, foram convidados pelo Conselho Comunitário para participarem da Assembléia da Comunidade e esclarecer as demandas da falta de água, e da ausência de obras da prefeitura, como terraplenagem e iluminação pública. O evento ocorreu na quarta-feira (20/02) e também contou com a presença do Presidente da Câmara, Aurino Martins e os vereadores: Professor Walter, Jiovana Lunelli e Hilda Araujo.

A presidente do Conselho, Valdeci Bocaiuva, relatou que numa outra reunião o prefeito mostrou uma lista dos moradores da Agrovila que não estavam pagando a água e isto era um dos motivos da bomba não ser consertada. “Nós nos dispusemos a cobrar os devedores e descobrimos que muitas pessoas já estavam com o carnê pago, mas constavam como devedores na Prefeitura”, relatou Valdeci. O prefeito esclareceu que os bancos e os estabelecimentos credenciados, não estavam repassando os recursos para Prefeitura. “Nós descobrimos isto no final de dezembro do ano passado e já estamos acionando inclusive na justiça para receber o dinheiro arrecadado, e por este motivo eu peço desculpas a comunidade, pelo constrangimento”, reconheceu.

O chefe do executivo informou ainda que o município é um dos poucos da região, junto com Altamira, que possui uma rede de água encanada em todas as áreas urbanas e rurais e que gasta por mês mais de R$ 100 mil, para manter o sistema funcionando. “Na Carlos Pena Filho o poço é antigo e só atende 80 famílias e o poço que está parado, vai custar R$ 42 mil, para consertar e não conseguimos juntar esse dinheiro ainda, mas vamos nos comprometer a consertar em até seis meses”, afirmou. Mas ressaltou que “o conserto do poço ainda não vai resolver o problema. Vamos ter que furar mais poços, e por isto nos comprometemos em buscar este recursos, junto aos parlamentares e ao governo do Estado ou Federal”, concluiu Alexandre, tendo que sair da Assembleia, devido há um outro compromisso, mas a reunião prosseguiu com os vereadores respondendo aos questionamentos da comunidade.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade